Seja um seguidor(a), não custa nada!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Perspectiva - uma noção básica

Um efeito utilizado no mundo da arte,que consegue nos transmitir uma sensação de profundidade .

Escola de Atenas, Rafael  Sanzio


Linha do Horizonte

Quando você está na praia e olha para o mar,
você tem a impressão de que o mar e o céu se encontram.
Essa linha imaginária de encontro entre céu e mar, é o exemplo mais  usado para entendermos  o que chamamos de  Linha do Horizonte.
Ela  se encontra sempre diante de nós, à altura dos nossos olhos, olhando em frente.
Em pé ou sentado, se você se abaixar, ela se abaixa também.
Faça o teste.


Ponto de Fuga e Linhas Convergentes

Quando você olha para uma paisagem, um ambiente etc., seus olhos se direcionam automaticamente para um  ponto, mas sem perder a imagem do todo.
Esse ponto,para onde nossos olhos se dirigem é chamado de ponto de fuga (PF).
Linhas convergentes são linhas paralelas , que convergem ao ponto de fuga.


O ponto de fuga é a representação do Infinito sobre o plano.
Este é um recurso que encontramos na  chamada perspectiva linear.

Complicando um pouquinho....

Encontramos  outros  tipos de perspectivas.
A perspectiva paralela de um ponto de fuga, conforme a figura A.
A perspectiva obliqua de dois pontos de fuga, conforme figura  B.
A perspectiva aérea de três pontos de fuga, conforme figura C.


Podemos ver no desenho abaixo, a representação da figura humana em perspectiva.
Repare que, conforme ela vai se distanciando  vai diminuindo de tamanho.
Com isso encontramos a figura humana em vários planos.
Sendo conhecidos por  primeiro plano ( as que se encontram mais a frente) e segundo plano (as que se encontram mais atrás).



Agora veja  o exemplo de primeiro plano e segundo plano na obra abaixo.


Meninas Cariocas,1926
Di Cavalcanti.

 

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Academicismo no Brasil

 
          Está ligado diretamente com a arte das academias,reponsáveis pela formação artística padronizada, com o ensino por meio de técnicas para criar a ilusão da realidade.
O retrato é uma forma consagrada da arte acadêmica. 
Figura ao Centro 
•Seu fundo reproduz paisagem ou ambiente
Forma realista
Veja um exemplo, parece até uma fotografia de tão perfeita.
Gioventú
Eliseu Visconti
1898.

Principais Temas:

Bíblicos
 Flagelação de Cristo, 1856
Victor Meireles

Históricos
      Independência ou Morte, 1888
 Pedro Américo

Natureza-morta
 

Natureza-Morta com Vaso e Frutas, 1895
Pedro Alexandrino


Paisagens

Fazenda do Belém , em S. José do Rio Preto, RJ
                           Georg Grimm - 1886


Gêneros da  corte
    Coroação de D. Pedro II , 1845
          Manuel de Araújo Porto Alegre


Depois do Banho, 1881
      Almeida Júnior

Desenho era obrigatório, para perfeição anatômica dos corpos.


Técnicas empregadas:
          •Claro e Escuro
Perspectiva
Harmonia
Perfeição da luz
Perfeição das cores
Perfeição das texturas dos elementos
Inspirar nos mestres estrangeiros e adotar o seu padrão estético, foi uma das marcas do academismo  brasileiro.

Momento de transição
Conserva as principais características formais da arte acadêmica, por outro lado os assuntos abordados já não se enquadram nos temas privilegiados pelo academismo.
Começa a se interessar pelo homem comum, e a vida familiar .
Veja os exemplos:
      O violeiro, 1899
            Almeida Júnior


                 
      Arrufus , 1887
        Belmiro de Almeida


Recado Difícil
Almeida Júnior


              OBSERVAÇÃO: Quer conhecer um pouco mais, faça uma visita ao Museu Nacional de Belas Artes, fica no centro da cidade do Rio de Janeiro, lá você vai encontrar uma expoisção permanente com várias obras desta época. Vale a pena viu!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Natureza Morta

Este nome foi dado  a um gênero da pintura muito consagrado. Nele,  a pintura em geral mostra objetos inanimados. 
O objetivo é mostrar a cor, a textura, a composição.Apesar deste tipo de pintura já aparecer na Antiguidade com os gregos e romanos,só no Renascimento se torna um gênero independente.  
É um gênero que até hoje é muito apreciado, encontramos vários artistas que pintam este tema, inclusive nos movimentos artísticos modernos  e contemporâneos.
Vejamos alguns exemplos:

O Pós Impressionista
 Girassóis
Vincent Van Gogh


O Fauvista

 Natureza morta com ostras
Henri Matisse

Os Cubistas

Garrafa de pernod e copo 
Pablo Picasso

Guitarra e fruteira em cima de uma mesa. 
Juan Gris

 Natureza morta on le jour
Georges Braque

O Dadaísta

O espelho
Kurt Schwitters


O Surrealista
 A mesa ou natureza morat com coelho.
Miró

A art pop

Natureza com rede, concha , corda e polia.
Roy Lichtenstein

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Galeria

Este tópico destina-se a apresentar os trabalhos feitos pelos meus alunos.

Inaugurando com uma criação  feita no ano passado, para mostra cultural da escola, foi um trabalho dentro da visão arte e ecologia. Os alunos criaram uma cortina super alegre e colorida, com fundos de garrafas pet e contas coloridas.
O resultado agradou a todos, tanto aos alunos como aos visitantes da mostra, foi um sucesso. Eu amei!

Podemos dizer que foi uma releitura da designer Michelle Brand.

A arte da reciclagem.

Continuando dentro do tópico de Arte e Ecologia, vamos conhecer alguns trabalhos de artistas que se utilizam de material reciclado. Sou fascinada por esta transformação do lixo em arte, é  a consciência ecológica, no mundo da arte.

Iniciando com os artistas Tim Noble e Sue Webster , que retiram o lixo das ruas de Londres e transformam nestas maravilhas.



Agora veja o que a designer inglesa Miche Brand consegue fazer com o fundo da garrafa pet!





E estas esculturas de Joe Pogan - EUA , não são o máximo!
Repare nos detalhes dos objetos.




Mais esculturas, estas são do artista Robert Bradford de Londres.




Tudo de bom!


segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Arte e Ecologia.

Atualmente, muitas pessoas estão preocupadas com a relação, homem e meio ambiente, e suas consequências quanto a exploração dos recursos naturais.
Nas últimas décadas, alguns artistas engajaram-se em questões ecológicas, buscando através de seu trabalho, chamar a atenção da sociedade, para os riscos da destruição da natureza. Chamavam de Arte da Terra.
Conhecida no meio artístico pelo nome de Land art , uma intervenção  sobre a natureza.

A land art  organiza-se como movimento em 1968, com a exposição Earth Works.
Logo após ficou mais popular com  a expressão site specifics  , no qual os trabalhos são feitos para um lugar  determinado .
A natureza é o meio e o lugar em que se dá  a experimentação artística.
Ela é o verdadeiro agente da obra.Cada artista imprime à natureza a sua marca de sua subjetividade,apropriando-se dela de modo estético.

Quebra mar espiral
Robert Smithson, EUA (1938 – 1973)

Andy Goldsworthy –Britânico -  1956

Ilhas cercadas
Christo –Bulgária (1935-)

Flor do Mangue
Frans Krajcberg  , (1921-)
Polonês  (naturalizou-se Brasileiro)





A arte da fotografia.

Para que uma fotografia seja considerada de caráter artístico ela depende da intenção do artista/fotógrafo.
Assim como a arte ela está ligada a criatividade e a forma de expressão
 artística; capaz de provocar emoções , transmitir idéias e pensamentos, além das  próprias imagens.
Podemos assim dizer que a fotografia é uma forma de se fazer arte.
Lançando mão de meios , como  luz e sombra , enquadramento, as cores ou a sua ausência, a composição, o retoque, a manipulação, o controle da revelação, que levam a sua originalidade.

Sou apaixonada, selecionei umas maravilhas que encontrei neste mundo virtual. Não são de minha autoria que fique claro.


Não podia faltar, o gato preto.

A luz no fim do túnel, rsrsr!


A perfeição do olhar da lente.

Um momento mágico.


Efeitos especiais!

Alguns artistas/fotógrafos trabalham com imagens reais, sem pose planejada, e outros trabalham a partir de poses ou composições de objetos de forma planejada.
Recortam do real aquilo que lhes interessa, um fragmento pequeno do mundo.
Como por exemplo a macro fotografia.
  
Por definição macro fotografia é a arte de ampliar detalhes ou pequenos objetos, e assim revelar a beleza escondida, imperceptível aos olhos humanos.